Desenvolvido por Miss Lily Comunicação
Quem Somos Assine Já Fale Conosco FAQ Meus Dados Fazer Login
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Delicious Blogger WordPress Enviar por e-mail
  Home

 

O Processo de Industrialização - Países em Desenvolvimento
 

O Processo de Industrialização - Países em Desenvolvimento

Cada país tem uma combinação única de fatores que influenciam o seu desenvolvimento econômico: fatores como clima, recursos naturais, políticas de colonização, entre tantos. No entanto, políticas econômicas têm tido uma influência determinante na industrialização de um país. A grande parte da população mundial vive em países com rendas per capita baixíssimas; são os chamados países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos. Ao adotar políticas econômicas que visam aumentar a renda per capita da população, diferentes países escolhem caminhos diferentes para se industrializarem. Porém, mesmo após décadas de políticas econômicas que visam o desenvolvimento, alguns países permanecem em extrema pobreza, enquanto outros, como a Cingapura, conseguiram se elevar a níveis de países desenvolvidos.

Nessa aula estudaremos como países que, até décadas atrás, eram pobres e subdesenvolvidos, têm feito grande progresso, se tornando NICs (Newly Industrialized Countries - Países Recentemente Industrializados), enquanto outros, como os países latino americanos, continuam subdesenvolvidos.  Estudaremos as escolhas de políticas econômicas por grupos de países em desenvolvimento (países subdesenvolvidos): a política de substituição de importações e a política de plataformas de exportação.

Substituições de importações

A partir da Segunda Guerra Mundial, países da América Latina, como o Brasil, o Chile, a Argentina e o México, tentaram acelerar o desenvolvimento da indústria através de uma política econômica de substituição de importações. Esses países limitavam a importação de produtos manufaturados para proteger e incentivar o nascimento e crescimento da indústria nacional. Produtos que, até então, eram importados passaram a ser produzidos internamente.

O principal argumento para essa política era o da "indústria nascente", que dizia que industrias que estavam nascendo precisavam ser protegidas pelo governo até que se tornassem competitivas no mercado internacional; caso contrário, elas não sobreviveriam. A lógica deste argumento econômico aparentemente faz sentido: de fato, leva alguns anos para estabelecer uma industria sólida que possa competir com outras que já estão estabelecidas. A conclusão deste argumento econômico é que se essas indústrias recém fundadas não fossem protegidas, elas nunca teriam a chance de se desenvolverem.

Essa política econômica deveria ter sido temporária. O governo limitaria as importações através de cotas e tarifas por um determinado número de anos, protegendo assim as novas indústrias. Após um certo período de tempo, a nova indústria deveria ser sólida o suficiente para competir no mercado internacional, fazendo com que as cotas e tarifas se tornassem irrelevantes. Dessa forma, o país subdesenvolvido começaria a se industrializar.

De fato, os Estados Unidos e a Alemanha protegeram suas indústrias durante o século XIX, durante seu processo de industrialização; o Japão fez o mesmo até a década de 1970.  Porém, os mesmos resultados não foram obtidos na América Latina.

 


página anterior   1 2 3   próxima página

 

ver aula anterior: A Industrialização dos Países Desenvolvidos
 

 
Sequência de Aulas

 

Ver todos
Apostilas


 

Banco de Questões
Novas questões de Exatas
87 de Física, 334 de Química e 330 de Matemática