Desenvolvido por Miss Lily Comunicação
Quem Somos Assine Já Fale Conosco FAQ Meus Dados Fazer Login
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Delicious Blogger WordPress Enviar por e-mail
  Home

 

Independência da África
 

Independência da África

O Nacionalismo Africano

O movimento de independência pós-Segunda Guerra Mundial também ocorreu na África. Nacionalistas africanos lutavam para que a África voltasse a ser livre de colonização, mas que o continente mantivesse as delineações territoriais e organização política das colônias estabelecidas.

A Segunda Guerra Mundial fez com que várias nações europeias perdessem interesse em suas colônias. O conflito também fomentou o nacionalismo africano, pois muitos nativos que serviram nas forças armadas durante a guerra tiveram a oportunidade de interagir com outros africanos e asiáticos que almejavam a independência de seus países.

Os movimentos nacionalistas receberam o apoio de um número crescente de africanos que trabalhavam nas cidades e municípios da África colonial. Após a guerra, esses trabalhadores urbanos realizaram uma série de greves exigindo o fim de baixos salários. Muitos eram alfabetizados, liam jornais e faziam parte de partidos nacionalistas africanos.

Os nacionalistas africanos ao sul do Saara foram encorajados pelo sucesso dos movimentos nacionalistas asiáticos e pela independência de grande parte do norte da África no início da década de 1950. Eles foram também incentivados pelos ganhos políticos e sociais obtidos pelos negros nos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial.

A Costa do Ouro

No final da Segunda Guerra Mundial, a Grã-Bretanha passou a permitir que os nativos africanos participassem mais de seu governo colonial. Os britânicos presumiam que essa autonomia limitada africana facilitaria a futura independência de suas colônias. Em 1957, a colônia britânica da Costa do Ouro conquistou a sua independência.

A Costa do Ouro foi capaz de realizar uma transição calma para a independência, tendo sido auxiliada por sua riqueza econômica e forte sistema educacional. Havia pouca rivalidade entre os povos da Costa do Ouro. Portanto, esse país que foi renomeado de Gana era mais política e economicamente estável que a maioria dos outros países africanos.

O líder do movimento de independência da Costa do Ouro foi Kwame Nkrumah, que havia estudado em uma universidade norte-americana. A vitória de seu partido na eleição de 1951 elegeu-o primeiro-ministro, apesar de seu governo permanecer ainda sob a autoridade britânica.


Kwame Nkrumah

Em 6 de março de 1957, a Costa do Ouro ganhou sua total independência, e Nkrumah nomeou o país de Gana. Durante os anos seguintes, as outras colônias britânicas na África Ocidental tornaram-se independentes - a Nigéria em 1960, a Serra Leoa em 1961 e a Gâmbia em 1965.

 


página anterior   1 2 3 4 5   próxima página

 

ver próxima aula: O Domínio Branco no Sul da África
 
ver aula anterior: O Domínio Europeu da África
 

 
Aulas relacionadas a esta:

 
  Descolonização - fatores e características


 
Sequência de Aulas

 
  Aula 104 - O Domínio Branco no Sul da África
  Aula 105 - A Luta contra o apartheid na África do Sul
  Aula 106 - A Queda do Muro de Berlim e o Fim do Comunismo na Europa

Ver todos
Apostilas


 

Banco de Questões
Novas questões de Exatas
87 de Física, 334 de Química e 330 de Matemática