Desenvolvido por Miss Lily Comunicação
Quem Somos Assine Já Fale Conosco FAQ Meus Dados Fazer Login
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Delicious Blogger WordPress Enviar por e-mail
  Home

 

Entradas e Bandeiras
 


Ver Principais Tópicos

Entradas e bandeiras, fases da atividade bandeirante, ciclo do ouro de lavagem, ciclo da preação ou caça ao índio, ciclo do sertanismo de contrato, ciclo do ouro e diamantes, Expansão para o sul, Colônia do Sacramento, Sete Povos das Missões Orientais do Uruguai, tratados de limites: Tratado de Lisboa, Tratado de Utrecht, Tratado de Madrid, Tratado de Santo Ildefonso, Tratado de Badajoz.

Entradas e Bandeiras

  Entradas e Bandeiras - aumento do território colonial

Outro fator de expansão territorial ao longo do século XVII foi a organização de expedições chamadas entradas e bandeiras, cujo objetivo era riquezas minerais e índios para escravizar. A diferença entre elas é que, em geral, as entradas eram patrocinadas pela Co­roa portuguesa, interessada em descobrir jazidas de ouro e prata. Já as bandeiras eram organizadas e financiadas por particulares.

Logo depois da chegada dos portugueses ao Brasil, organizaram-se as primeiras entradas que objetivavam, principalmente, conhecer a região e descobrir seu potencial econômico. Em 1504, o cartógrafo Américo Vespúcio chefiou uma expedição e, a seguir, Martim Afonso de Souza patrocinou outras duas, que percorreram o sertão da Bahia e Minas Gerais.

São Vicente, desde cedo, aparece como centro irradiador das bandeiras, muito mais frequentes no Brasil colonial que as entradas. A Capitania de São Vicente foi bem sucedida na produção de açúcar, mas não apresentou condições de concorrer com a região Nordeste, detentora de clima e solo propícios ao cultivo da cana, além de localizar-se mais próxima da Metrópole. A economia da Capitania entrou em rápido declínio e seus habitantes empobreceram consideravelmente. Não lhes restava alternativa senão entrar no mato em busca de riquezas e de índios para serem vendidos como escravos. Ou seja, em São Paulo organizaram-se dezenas de expedições bandeirantes, menos em função do espírito aventureiro e destemido dos paulistas, e mais em razão das necessidades econômicas da Capitania.

As fases da atividade bandeirante, no Brasil seiscentista, foram:

- ciclo do ouro de lavagem: a busca de metais preciosos, tão comuns em terras da América espanhola, motivou uma série de bandeiras. Seus participantes dedicavam-se a extrair o ouro que se achava depositado no leito dos rios. Os bandeirantes, nessa época, afastaram-se bastante da zona litorânea, descobrindo ouro de aluvião em Curitiba e São Roque. Algumas vilas e povoados nasceram desse desloca­mento bandeirante, tais como Itanhaém, Iguape, Paranaguá, Curitiba e Laguna.

 


página anterior   1 2 3 4   próxima página

 

ver próxima aula: As Revoltas Coloniais
 
ver aula anterior: A Formação Territorial do Brasil
 

 
Sequência de Aulas

 
  Aula 6 - O Ciclo do Ouro
  Aula 7 - As Revoltas Coloniais
  Aula 8 - O Processo de Independência do Brasil

Ver todos
Apostilas


 

Aulas de Física
Nova aula
Introdução à Física – índice Vestibular