Desenvolvido por Miss Lily Comunicação
Quem Somos Assine Já Fale Conosco FAQ Meus Dados Fazer Login
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Delicious Blogger WordPress Enviar por e-mail
  Home

 
Dicas para provas
 

Dicas para provas

Dicas para provas: o dia da prova

Antes da prova, faça uma lista de tudo que você precisará: lápis/canetas, um relógio (para você administrar seu tempo) e uma calculadora e dicionário (se forem permitidos), etc. É recomendável trazer mais de um lápis e/ou caneta (caso o lápis quebre ou a caneta deixe de funcionar). Se você estiver bem preparado para a prova, você poderá se concentrar melhor. Mas se a caneta estiver falhando ou o lápis estiver quebrado, isso pode prejudicar muito o seu desempenho.

Durante a prova, utilize um relógio para administrar seu tempo. Muitas vezes, principalmente quando estamos muito concentrados, perdemos a noção de tempo. Mas também não fique ansioso durante a prova, com receio que você não terá tempo de terminá-la. Abaixo, oferecemos algumas dicas para você aprender a administrar seu tempo, principalmente quando a prova é longa ou contém questões muito complicadas.

É importante sempre manter a tranquilidade durante a prova. Não seja intimidado pelo comprimento da prova ou pela complexidade das questões. É comum você olhar para a prova e pensar que as questões são muito difíceis, mas assim que você começar a responder às questões, seu cérebro “aquecerá” e você chegará à conclusão que sabe mais do que imagina e que consegue enfrentar mesmo as questões mais complexas. O importante é manter a calma e a concentração. Um pouco de ansiedade nos mantêm concentrados, mas muita ansiedade prejudica nosso poder de raciocínio.

Durante a prova, mantenha seus olhos nela. Não importa quanto bom aluno ou honesto você seja, você nunca pode permitir que alguém desconfie que você esteja colando. Não precisamos nem dizer que durante a prova, você não deve conversar com absolutamente ninguém. Se por algum motivo, você precisar se dirigir a algum aluno, fale em voz alta para que todos na sala de aula ouçam o que você está dizendo. Se você, por querer ser educado, sussurrar, levantará suspeitas que esteja colando.

Leia as instruções da prova com cuidado. Isso parece ser uma sugestão óbvia, mas não é. Muitos alunos não têm a paciência de ler todas as instruções da prova e isso pode ser bastante prejudicial para eles. Por exemplo: uma prova tem 20 questões extremamente longas e complicadas, mas as instruções indicam que o aluno pode escolher apenas cinco delas para responder. O aluno que não se der o trabalho de ler as instruções achará que precisa responder a todas as questões e quando notar que não há tempo suficiente, entrará em pânico. E se responder a mais de cinco questões, revelará ao professor que nem sequer se deu o trabalho de ler as instruções. E caberá ao professor decidir quais cinco questões considerar quando for corrigir a prova.   

Quando você responder a prova, examine-a toda rapidamente. Tente fazer uma avaliação instantânea de quanto longa e complexa é a prova. Isso é importante para que você possa administrar bem seu tempo. Se a prova for muito longa ou se as questões forem complicadas, isso significa que você terá de alocar menos tempo por questão. Outro motivo para examinar toda a prova antes de iniciá-la é que é fundamental identificar as questões mais longas e complexas. Explicaremos abaixo que você não deve utilizar a maioria do seu tempo para responder às questões mais difíceis se não sobrar tempo o suficiente para você responder com atenção às demais.

Leia toda questão por inteiro e com atenção. Não leia parte da questão e assuma que você sabe o que ela está pedindo. Muitas vezes, uma questão parece estar pedindo uma informação, mas na realidade, pede outra.

Um exemplo:

O presidente dos Estados Unidos que liderou a nação durante a maior parte da Segunda Guerra Mundial é admirado até os dias de hoje. Apesar de ele ter sido um democrata, ele é respeitado e citado até mesmo por membros do Partido Republicano. Era um homem doente, que precisava ser transportado em uma cadeira de rodas. Não obstante, liderou a luta contra as Forças do Eixo, livrando a Europa da barbárie nazista. Ao mesmo tempo, foram as políticas de sua administração que ajudaram o país a superar a Grande Depressão.

Hoje, os Estados Unidos atravessam dificuldades econômicas. Esperava-se que Barack Obama, que também pertence ao Partido Democrata, pusesse um fim à recessão econômica que vem assolando os Estados Unidos nos últimos anos.
No final da década de 1970, durante a administração do democrata Jimmy Carter, os Estados Unidos também passaram por uma recessão econômica bastante severa. Foi apenas durante a administração de seu sucessor que os Estados Unidos voltaram a crescer economicamente e se tornaram a maior superpotência mundial. Como se chamou esse presidente?

      1. Franklin D.Roosevelt
      2. Bill Clinton
      3. Ronald Reagan
      4. George Washington
      5. George W. Bush

O aluno que conhece bem a história dos Estados Unidos provavelmente terá facilidade em responder a essa questão. Mas se ele for impaciente e ler apenas a primeira parte da questão, sua resposta será a. De fato, o primeiro parágrafo da questão fala a respeito de Franklin D. Roosevelt. Mas a questão pergunta a respeito de outro presidente – o sucessor de Jimmy Carter, que foi Ronald Reagan. A resposta correta, portanto, é c.

Esse tipo de “pegadinha” é comum. Portanto, não tente economizar tempo ao ler apenas a primeira parte da questão. Como esse exemplo demonstra, essa impaciência (ou ansiedade para passar para a próxima questão) resultou na escolha da opção incorreta. Se o aluno tivesse lido a questão por inteiro, teria escolhido a resposta correta.

Se as questões forem dissertativas, escreva de forma legível. Seu professor ou o corretor da prova provavelmente terá de ler muitas provas. Ele não ficará nada feliz em ter que decifrar o que você escreveu. Lembre-se que há um elemento de subjetividade na correção de uma prova dissertativa ou de uma redação. Se você escrever de forma legível – se você facilitar a vida do professor ou do corretor – há uma boa chance que ele retribua o favor.

Em uma prova de múltipla escolha, tenha certeza de que você preencheu todas as alternativas corretamente. Tome cuidado para não preencher mais de uma alternativa. Se isso ocorrer, a questão será marcada como incorreta.

Responda às questões em ordem estratégica

Muitos alunos já passaram pela experiência desagradável de ter tido um mau desempenho na prova porque não tiveram tempo o suficiente para responder a maioria das questões. Isso geralmente ocorre porque o aluno passou tempo demais respondendo às questões mais longas e complicadas e não sobrou tempo para as demais.

Há provas em que cada uma das questões tem um valor diferente, isto é, as questões mais difíceis contam mais para a nota final, e as mais fáceis, menos. Mas, em geral, toda questão tem o mesmo valor. Não faz diferença se você acertar as cinco questões mais difíceis da prova ou as mais fáceis. O importante é somar o maior número de acertos possíveis.

Se você não for penalizado por escolher a alternativa incorreta, não deixe nenhuma questão em branco. Adivinhe a resposta. Há sempre a chance de você adivinhar corretamente. Mas se você deixar a questão em branco, as chances de ela ser marcada como incorreta são 100%.

Já que o importante é acertar o maior número de questões possível, comece a prova pelas questões que você julga serem as mais fáceis e rápidas de responder. O primeiro passo, portanto, para responder às questões em ordem estratégica é conseguir identificar quais delas são as mais fáceis para você.   

À medida que você for respondendo às questões mais fáceis, você se sentira mais confiante e tranquilo. É como fazer exercícios físicos: se você se aquecer, seu treino será melhor. Ao responder às questões mais fáceis, seu cérebro vai se “aquecendo” e quando você chegar às questões mais difíceis, você se sentirá mais confiante e tranquilo, pois já terá feito boa parte da prova.

(Caso você note que nenhuma questão é fácil para você, isso significa uma de duas coisas: você não entendeu bem a matéria ou a prova é, de fato, muito difícil. Se a prova for, de fato, muito difícil, faça o melhor que puder e trabalhe com tranquilidade, pois saiba que os outros alunos, que estão concorrendo com você por uma vaga na faculdade, também encontrarão dificuldades em responder às questões. Por que presumir que você terá um desempenho pior que o dos outros? E se a prova for do colégio, isso significa que seu professor terá de ser generoso na hora de corrigir a prova. Caso contrário – se ele der nota baixa para todos os alunos – ele arrisca desmotivar seus alunos ou levantar suspeitas de quanto bom professor ele realmente é). 

Alerta! A estratégia de responder às questões mais fáceis pode ter resultados catastróficos em uma prova de múltipla escolha se você pular questões e se esquecer de voltar para respondê-las. Também tome muito cuidado na hora de preencher as respostas se estas precisarem ser preenchidas em uma folha de respostas.  

Depois de responder às questões mais fáceis, passe para as de nível intermediário. Deixe as mais difíceis por último.

Muitos alunos acreditam que fazer uma boa prova significa responder a todas as questões da prova. Isso está errado. Fazer uma boa prova significa acertar o maior número de questões possível. É melhor acertar 50% das questões e adivinhar o restante do que responder a todas as questões e acertar 40% delas. 

Se você começar a prova ao responder às questões mais fáceis e depois passar para as de nível intermediário, quando você finalmente chegar às mais difíceis, terá todo o tempo restante para tentar resolvê-las. Ao seguir essa estratégia, você poderá responder às questões mais difíceis com um certo grau de tranquilidade, sabendo que já respondeu a todas as outras questões da prova.

Exemplificando: uma prova com duração de uma hora contém 20 questões. Você respondeu a 18 delas. Sobraram duas, que são muito difíceis, e faltam 10 minutos para o término da prova. Isso significa que pelos próximos 10 minutos, você pode dedicar toda a sua atenção a essas duas questões. Se você conseguir resolver pelo menos uma delas, ótimo. Caso contrário, e se for uma prova de múltipla escolha, adivinhe uma alternativa (no artigo...oferecemos algumas dicas para você adivinhar inteligentemente).

Mas imaginemos uma situação diferente – algo que, aliás, ocorre frequentemente. Você responde às questões em ordem cronológica. As primeiras duas questões são muito difíceis, mas você não as pula. Afinal, você não é do tipo que desiste facilmente. O tempo passa e você continua tentando resolvê-las. Quando você finalmente olha o relógio, você nota que já se passou meia hora e ainda faltam 18 questões para você responder. O que é pior, você nem tem certeza que acertou as primeiras duas questões. Você entra em pânico. Há apenas meia hora até o término da prova e faltam 90% das questões para você fazer.

Situações assim ocorrem frequentemente, principalmente com alunos perfeccionistas que fazem questão de responder a todas as questões da prova. Lembre-se: é melhor acertar 90% das questões da prova e não ter tempo de tentar resolver o restante do que tentar acertar todas as questões e não ter tempo de responder àquelas que você teria acertado.

Quando você estiver respondendo a uma questão e ficar na dúvida – por exemplo, você sabe que estudou o assunto, mas não consegue se lembrar de algum fato relevante – não perca tempo muito tempo pensando, tentando se lembrar do que esqueceu. Trate essa questão como se fosse uma das difíceis, isto é, volte para ela depois. O assunto permanecerá no seu cérebro – é possível que, no meio da prova, enquanto você esteja pensando em outra questão, você, de repente, se lembre. O importante é não desperdiçar tempo simplesmente porque você está frustrado com o fato de que não consegue se lembrar de algo que sabia.

Em uma prova de múltipla escolha, leia todas as alternativas antes de escolher uma delas. Muitos alunos têm o péssimo habito de escolher a primeira alternativa que parece ser a correta e nem sequer se dão o trabalho de ler as outras. Isso é um erro muito grave, pois muitas alternativas são parecidas. Além disso, é importante enfatizar que em uma prova de múltipla escolha, você precisa escolher a melhor alternativa, não aquela que seja plausível. Leia todas as alternativas, mesmo que você tenha certeza de que a escolha a ou b seja a correta. Você pode se surpreender e descobrir que a alternativa correta é outra e que as alternativas que pareciam ser as corretas contêm algum fato que as tornam incorretas.

Não se preocupe se os outros alunos terminarem a prova antes de você. Isso não significa que tiveram mais facilidade na prova do que você. Aliás, pode significar o oposto: que devido à falta de preparo ou conhecimento, adivinharam muitas respostas e nem sequer se deram o trabalho de tentar resolvê-las. Muitos bons alunos costumam utilizar todo o tempo da prova. Após terminarem a prova, verificam que não deixaram nenhuma questão em branco e voltam às questões sobre as quais ficaram com dúvidas e tentam resolvê-las. É fundamental ressaltar, porém, que você não deve mudar as respostas de sua prova a menos que tenha certeza absoluta que cometeu um erro. Vários estudos indicam que a primeira resposta que vem à mente é geralmente a correta, mesmo que você não tenha certeza dela. Mude a resposta apenas se você se lembrar de algum fato relevante a respeito da questão (algo que você não estava se lembrando quando escolheu a alternativa) ou se você notar que preencheu incorretamente a opção. Caso contrário, deixe as respostas como estão. Muitos alunos escolhem uma alternativa, mas depois começam a duvidar da escolha: “Escolhi a alternativa a, mas talvez seja a c. Mas talvez seja a a mesmo. Mas será que é a d?”. Não jogue esse jogo consigo mesmo. Sua primeira escolha é provavelmente a correta.

- Antes de escrever a redação, organize sua ideias. Caso contrário, você arrisca escrever uma redação incoerente, que vai de um assunto a outro, e você nem saberá como concluí-lo. Recomendamos que antes de começar a escrever, você dedique alguns minutos para pensar em uma introdução, nos argumentos que você apresentará e nas ideias que você abordará e em uma conclusão lógica e coerente.

Por exemplo:

Tema de Redação: A pena de morte deveria ser adotada no Brasil? Justifique seus argumentos.

Antes de começar a escrever a redação, faça um esboço. Digamos que você decida argumentar a favor da pena de morte. Uma sugestão de esboço, que servirá de guia para você escrever uma redação coerente:

Introdução: A pena de morte deveria ser adotada no Brasil, pois isso reduziria a violência no país.

Argumento 1: Criminosos poderosos e traficantes de drogas não se intimidam com o regime carcerária brasileiro, pois conseguem agir mesmo dentro da prisão. A pena de morte é a única forma de intimidá-los.

Argumento 2: As cadeias já estão lotadas e há muita fuga de prisioneiros. A pena de morte é a única garantia que os piores elementos da sociedade não mais voltarão a cometer crimes.

Argumento 3: Criminosos precisam entender que a vida deles não vale mais do que a do outros. A pena de morte é justa: quem não valoriza a vida dos outros não pode esperar que sua vida seja valorizada.

Conclusão: A pena de morte é uma forma de fazer justiça no Brasil e de intimidar criminosos perigosos. Muitas pessoas acreditam que a pena de morte é cruel, mas, na realidade, é uma forma de garantir a segurança de pessoas inocentes.

A partir de um esboço assim, torna-se mais fácil escrever uma redação coerente. A possibilidade de fugir do assunto, do aluno “viajar”, é menor. Preparar um esboço é uma forma de organizar ideias e argumentos. 

Dicas para provas: o término da prova

Quase ninguém gosta de provas, nem mesmo os melhores alunos. É compreensível que você queira terminá-la o mais breve possível. Mas resista à vontade de concluí-la e entregá-la antes do término do tempo de prova.

Se você terminar a prova e sobrar tempo, revise-a para ter certeza que você:

  • respondeu a todas as questões, não deixando nenhuma delas em branco;
  • preencheu corretamente todas as alternativas;
  • escreveu de forma legível (isso vale para questões dissertativas e redações) e que não fez erros de ortografia ou pontuação;
  • não pulou nenhum passo, nem cometeu algum erro de cálculo em questões de Matemática

Isso foi dito acima, mas é importante repetir: revisar a prova não significa mudar suas respostas. Mude uma resposta apenas se você tem certeza que cometeu algum erro, não porque você se sente inseguro em relação a ela. Muitas alternativas são parecidas e foram feitas para confundir o aluno. Não caia nessa armadilha.

Outra observação importante: ao terminar a prova, não procure padrões nas respostas de múltipla escolha. Sim, é possível que a maioria das respostas seja qualquer uma das alternativas – a, b, c, d ou e. E sim, é possível que haja repetição de alternativas – por exemplo, a, a, a, b, b, c, c, etc. Não há nenhuma regra que diz em que uma prova, 20% das respostas precisam ser a, 20% b, 20% c, etc.

Dicas para provas: após a prova

Após o término da prova, pare de se preocupar! A prova já terminou. Não há mais nada a fazer para mudar sua nota. Se você não foi bem, que sirva de lição para você estudar mais da próxima vez.

Após a prova, o que você pode fazer de útil e produtivo é o seguinte:

- quando recebê-la de volta, verifique o professor não cometeu nenhum erro. Muitos alunos não sabem disso, mas professores também são seres humanos. Eles também podem cometer erros. Isso não significa que você deve contestar a resolução de todas as questões. Se você for questionar a resposta de uma questão ou a sua nota, faça de forma educada.

- aprenda de seus erros. Veja as questões que você errou. Foi por falta de estudo? Por falta de compreensão? Talvez você tenha errado porque havia “pegadinhas”? Havia certos conceitos que você achava que entendia bem, mas talvez não tenha entendido? Se você aprender de seus erros, haverá menos chance de você cometer erros parecidos em provas futuras, principalmente nas mais importantes: o vestibular e o Enem.

- guarde a prova (se o professor permitir) e revise-a. Lembre-se de que muitas provas são cumulativas, isto é, testam conceitos que foram testados em provas anteriores. A prova mais cumulativa é o próprio vestibular, que visa a testar tudo que você deveria ter aprendido durante os três anos de Ensino Médio.

- se você não ficou satisfeito com seu desempenho na prova, converse com seu professor a respeito disso. Com a ajuda dele, tente identificar as áreas de estudo que você precisa melhor para ter um desempenho melhor em provas futuras. A menos que você tenha tirado 10 na prova, há sempre a possibilidade de melhorar.

- se a prova for o próprio vestibular ou o Enem – e você pretende prestá-los novamente – utilize seu resultado para identificar as matérias e os assuntos que você foi pior e que, portanto, mais precisa estudar.

O 10emtudo espera que você siga essas sugestões e que você passe a ter um melhor desempenho nas provas, sejam elas as do colégio, o vestibular e o Enem.

 


Ver Próximo Artigo: Dicas para provas de Múltipla Escolha
 
Ver Artigo Anterior: Dicas de estudo
 


 

Aulas de Biologia
7 novas aulas
Fisiologia Animal – índice Vestibular