Desenvolvido por Miss Lily Comunicação
Quem Somos Assine Já Fale Conosco FAQ Meus Dados Fazer Login
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Delicious Blogger WordPress Enviar por e-mail
  Home

 
Clonagem de animais
 

Clonagem de animais

Conheça Cc, o primeiro animal de estimação clonado

Gata Clonada

A polêmica questão de clonagem de animais tornou-se pública em 1997, quando foi reproduzida a ovelha escocesa Dolly. Algumas semanas atrás, cientistas anunciaram que repetiram a experiência com outro animal, desta vez um doméstico.

O animal clonado é uma gata chamada Cc, abreviação para "carbon copy" (cópia em carbono) e "copy cat" (imitador) que é uma cópia de sua mãe genética, e não da fêmea que lhe deu a luz. Aqueles que a viram afirmam que Cc é adorável, e desta forma, a questão da clonagem de animais tornou-se não apenas ética, mas também sentimental. Uma coisa é discutir os méritos da duplicação de animais de fazenda para benefício humano, e outra é quando o animal se trata de um ser querido. Os seres humanos poderiam ser os próximos na linha.

A experiência de Cc foi supervisionada por Mark Westhusin, professor na Faculdade de Medicina Veterinária da Texas A&M University e apoiada pela Genetic Savings & Clone, uma companhia privada cujo benfeitor financeiro pretendia clonar não um felino, mas sim seu cão. Porém, a ovulação de cães não é tão frequente quanto a de gatos. Após três anos de tentativas para clonar um cão, o professor Westhusin e seus colegas decidiram tentar a experiência com um felino. O laboratório já havia clonado gado, porcos e cabras, mas Cc era o primeiro animal doméstico.

Os cientistas iniciaram o trabalho com um macho adulto. Eles colheram células da boca do animal e as fundiram com óvulos de um gato, dos quais todo material genético havia sido retirado. Este processo resultou em 82 embriões, que foram implantados em sete mães de aluguel felinas. O resultado foi de apenas um feto clonado, que morreu ainda no útero.

Os pesquisadores então começaram a usar uma aglomeração celular do ovário de uma fêmea chamada Rainbow (Arco-íris). Foram criados cinco embriões clonados, depositados em Allie, outra mãe de aluguel felina, e desta vez um embrião se desenvolveu e cresceu. O resultado foi Cc, nascida em 22 de dezembro, de 2001. (Cc é então um clone de sua mãe genética Rainbow, não de Allie, que foi fertilizada). Seu nascimento foi anunciado em fevereiro de 2002 pela revista norte-americana Nature

Apesar de ser um grande avanço, a clonagem não é um procedimento barato. O laboratório do Texas que produziu Cc tem uma proporção de sucesso de 1 em 87. A experiência produz dúzias de embriões mortos para cada sobrevivente. E ademais, com a exceção de seus genes, um clone pode ser diferente de seu progenitor genético. O gato doméstico Cc, por exemplo, tem uma coloração diferente da sua mãe genética, Rainbow. Isto pode ocorrer porque a coloração desta raça de felinos é determinada em parte pelos genes, mas parcialmente por modificações moleculares ocorridas durante seu desenvolvimento. O temperamento de um felino pode também ser diferente de seus pais, já que é influenciado pelo seu meio ambiente, e não apenas por sua genética. O Professor Westhusin declarou que "Não se trata de uma ressurreição. As pessoas precisam entender isso".

Até agora, a clonagem está em seu estágio inicial. Alguns dos animais clonados sofreram de deficiências cardíacas e pulmonares fatais na infância. Defensores da prática afirmam que a fragilidade dos clones será superada pelo avanço na tecnologia da clonagem.

Por um lado, aqueles que apoiam a duplicação de animais afirmam que seres idênticos podem evoluir a pesquisa científica: cientistas poderiam finalmente conduzir experimentos sem a variabilidade genética que pode mesclar os resultados. O Professor Westhusin constatou que gatos, por exemplo, também pode contrair AIDS que é um indicativo para o estudo da mesma doença em humanos.

Contudo, críticos contra-argumentam que este benefício empalidece quando em comparação aos danos que podem resultar deste tipo de experiência. Será a clonagem de humanos o próximo estágio? E será isso correto e seguro? Será que nossa sociedade permitiria um procedimento no qual 86 embriões humanos morrem para que apenas um sobreviva?

A clonagem humana pode estar ainda mais próxima do que imaginamos. Panayiotis Zavos, um professor aposentado da Universidade de Kentucky, pelos últimos dois anos vem afirmando que será o primeiro a realizá-la. Recentemente ele anunciou que havia selecionado casais inférteis e está pronto para iniciar seu objetivo. Cc foi o primeiro animal doméstico clonado. Será um ser humano o próximo?

 


Ver Próximo Artigo: Clonagem Humana
 
Ver Artigo Anterior: Ética e Clonagem
 


 

Aulas de Inglês
5 novas aulas
Aulas de Interpretação de Textos